background img

The New Stuff

Gabriel Braga Nunes causa problemas nas gravações de "Em Família" muito chilíquento

Contracenar com Gabriel Braga Nunes vir pesadelo 
O temperamento rude de Laerte, o músico ciumento vivido por Gabriel Braga Nunes na novela “Em Família”, parece ter se estendido para o comportamento de seu intérprete. 

O ator está causando uma série de problemas nos bastidores da trama de Manoel Carlos. Ele não costuma cumprimentar os colegas de elenco e reclama de tudo: se o boom (microfone suspenso) aparece na cena e o diretor precisa interromper o trabalho, ele dá chilique. Gabriel também faz cara feia se a gravação atrasa ou se a sequência precisa ser refeita.

O ator também causa transtorno na hora de ensaiar com os colegas. Ele chega sem o texto decorado e entra no estúdio com o capítulo nas mãos. Como não gosta de passar o texto, costuma deixar os companheiros sozinhos. Ana Beatriz Nogueira, que interpreta Selma, a mãe de Laerte, já chegou a chorar de raiva pelo comportamento de Gabriel e foi consolada por quem estava por perto. 

Helena Ranaldi, cuja personagem tem um envolvimento romântico com o de Gabriel, é outra que vem sofrendo bastante com as atitudes do ator. Vaidoso, ele tem o costume de interromper as cenas da atriz quando ela está no auge da emoção, só para que ela não se sobressaia. A estratégia dele é “errar” o texto. Gabriel faz isso tantas vezes que virou piada dentro do estúdio.

A última vítima foi Humberto Martins. Apontado como um cara bacana na Globo, ele se estranhou com Gabriel durante a gravação da briga entre Virgílio e Laerte. 

A confusão, presenciada por várias pessoas, foi na cidade cenográfica. Gabriel não quis ensaiar com a seriedade que a sequência exigia e Humberto não gostou.

E se engana quem pensa que Gabriel é assim porque grava tudo na primeira tentativa e não precisa de ensaios. Ele é conhecido nos bastidores por errar bastante suas falas e ser um problema para os editores da novela, que precisam ficar “colando” as cenas.

Esse comportamento de Gabriel, no entanto, não é novidade. Em “Saramandaia”, Débora Bloch vivia se queixando do colega pelos mesmos motivos. Já em “Amor Eterno Amor”, Cássia Kiss Magro não aguentou e esculhambou o ator na frente de um monte de gente no estúdio. 

No meio da discussão, a atriz disse que “preferia contracenar com um pedaço de madeira”, que ele “tinha problemas mentais” e “ela pagaria um psicólogo para ele se fosse preciso”.


Postar um comentário

Postagens populares